Ouça Ao vivo Peça Sua Música Android App iOS App

Geral

25.01.2020 - 11:25

154 visualizações

Defesa de Elenir Winck tenta impedir posse de Gilda Galeazzi no MTG

Foto: Reprodução

defesa da candidata à presidência do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Elenir Winck, ingressou, na sexta-feira (24), com um agravo de instrumento para revisão da decisão proferida pela juíza plantonista, Carmen Barghouti, titular da 2ª Vara Cível do Fórum de Lajeado que assegurava à passo-fundense, Gilda Galeazzi, a posse como presidente eleita do MTG.

 

No despacho, emitido na tarde de quinta-feira (23), a magistrada acolheu na íntegra o recurso apresentado por Gilda para suspender a posse de Elenir após o empate nas eleições para a nova gestão da entidade tradicionalista, no dia 11 de janeiro. No entendimento judicial, prevaleceu o Artigo 127 do Estatuto do MTG, que rege o centro de cultura gaúcha, determinando que, em caso igualitário de votos, a idade da candidata mais velha é critério para validar a condução ao cargo de gestão. “Ocorre que tal entendimento é equivocado, visto que não observa a idade das candidatas, sendo no caso da autora [Gilda Galeazzi], que tem 65 anos, em detrimento da candidata da chapa 1 [Elenir Winck], que tem 62 anos”, destacou um dos trechos da decisão.

 

A defesa de Elenir, no entanto, questionou o parecer da juíza alegando o não cumprimento do Estatuto do Movimento. “Recebemos apreensivos essa decisão”, disse Gilda. “O Estatuto fala no candidato mais velho e não na chapa”, prosseguiu. A eleição histórica, que vai conduzir a primeira mulher à presidência do MTG, encerrou o escrutínio empatado com 530 votos para cada chapa e cinco abstenções consideradas como brancos e nulos. A comissão eleitoral, portanto, adotou como critério a idade do conselheiro mais velho para legitimar a vitória e posse de Elenir Winck, questionada judicialmente por Gilda. Pelas redes sociais, Elenir alegou “seguir firme no propósito de preservar a dignidade da instituição”. “Temos plena convicção de nossa postura ética e nossa retidão de caráter para com nossa cultura e nossa tradição, bem como para com todos os tradicionalistas do nosso Rio Grande”, escreveu.

 

Quebra de paradigmas

Embora a transição seja para empossar uma representação feminina no mais alto cargo do Movimento Tradicionalista, pela primeira vez desde 1947, Gilda avalia que o gesto não simboliza uma abertura mais progressista do MTG. “Ainda é um movimento conservador. As mulheres sempre tiveram um papel ao lado do homem nas entidades. Nós temos essa sensibilidade e é com isso que vamos fazer a gestão”, ponderou.

 

Com um orçamento anual estimado em R$ 1,8 milhão, ampliados para R$ 3,2 milhões com a destinação de emendas parlamentares, ela argumenta desejar o fortalecimento das entidades tradicionalistas regidas pela entidade com a qualificação profissional para destinar assistências culturais aos centros de tradição gaúcha. “Temos que mostrar que não estamos aqui pelo cargo. Não houve votação nas chapas, mas nas pessoas e nas propostas”, ressaltou.

 

No jargão jurídico, o agravo de instrumento é um recurso interlocutório apresentado pela defesa como uma tentativa cabível à parte que se sentir prejudicada de alguma forma pelo veredicto judicial.

 

* Por O Nacional

Agenda

Top 10

  • 1MARÍLIA MENDONÇA - SUPERA (2019)
  • 2MATHEUS E KAUAN Part. Jorge e Mateus - QUARTA CADEIRA (2019)
  • 3BRUNO E MARONE - SHOW DE RECAIDA (2019)
  • 4DIEGO E ARNALDO - RELOGIO PARADO (2019)
  • 5JOÃO NETO E FREDERICO - RADIN LIGADO (2019)
  • 6MELIM - GELO (2019)
  • 7GIULIA BE - MENINA SOLTA (2019)
  • 8SORRISO MAROTO - REPRISE (2019)
  • 9IZA - MEU TALISMÃ (2019)
  • 10LILL NAS X Feat. Bily Ray Cyrus - OLD TOWN ROAD (2019)
Fale Conosco: 54 3344 1605
Tapejara/RS - Brasil
100e7 FM © Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por wg3web.com.br